Base Curricular e Reforma do Ensino Médio são temas de Palestra Inaugural

No dia 01 de fevereiro, professores das unidades Centro e Jacarepaguá deram início ao ano letivo de 2018 com a tradicional Palestra Inaugural, realizada no Auditório Alexander von Humboldt, em Jacarepaguá. O Presidente da Sociedade de Beneficência Humboldt, Dr. Hans Joachim Wolff, deu as boas-vindas ao corpo docente do Colégio Cruzeiro, acompanhado pela Direção e Vice-Direção das duas unidades. Em seguida, o sociólogo Cesar Callegari apresentou a palestra "A Base Nacional Comum Curricular do Ensino Fundamental e da Educação Infantil e a Reforma do Ensino Médio".

Membro do Conselho Nacional de Educação (CNE) e Presidente da Comissão da Base Nacional Curricular Comum do CNE e do Instituto Brasileiro de Sociologia Aplicada (IBSA), o palestrante foi convidado pelo Colégio Cruzeiro para apresentar aos educadores os principais pontos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que foi aprovada pelo CNE em 15 de dezembro de 2017.

Segundo Callegari, especialista em gestão de políticas e programas de instituições públicas dos setores de Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia, o encontro representa a possibilidade de professores ajudarem o CNE a aperfeiçoar o trabalho realizado. "O contato com os professores é indispensável, pois são eles que sabem das dificuldades, uma vez que tratam diretamente com as expectativas das crianças, jovens e famílias. É essencial o contato direto entre quem elabora políticas públicas com quem atua na base da educação. Este diálogo permanente, democrático e participativo nos ajuda muito."

A BNCC define, pela primeira vez em caráter normativo no Brasil, o conjunto de direitos de aprendizagem e desenvolvimento envolvendo Educação Infantil e Ensino Fundamental. O documento (disponível aqui) também traz referências que vão impactar no Ensino Médio. "É um conjunto de escolhas sobre o que se considera essencial para toda criança e todo jovem para que ele possa desenvolver tanto o exercício pleno da sua cidadania quanto a sua inserção no mercado de trabalho", explica o sociólogo.

"GPS" para escolas e professores


Callegari enfatizou que a Base não é o currículo das escolas. O currículo associa os conteúdos que devem ser aprendidos com estratégias para o desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem. Já a Base é um conjunto de referenciais a partir dos quais as escolas, de maneira crítica e criativa, devem tomar decisões a respeito de sua formatação curricular. "É um grande 'GPS' para nós, professores, construirmos nossa rota curricular de uma maneira mais integrada. É uma espécie de carta náutica aos educadores. O documento recém-aprovado terá repercussões em todas as dimensões da educação nacional para os próximos 30 anos."

No âmbito da sua autonomia, escolas e professores podem e devem tomar decisões a respeito dos melhores momentos e maneiras de desenvolver o conjunto de direitos que são preconizados na BNCC. "Sou um defensor da Base. Não no sentido de ser um dispositivo que prescreve o que os professores devem fazer, mas sim com o intuito de inspirar educadores, escolas e sistemas de ensino a pensarem seus trabalhos de maneira mais sistêmica", afirmou Callegari. Outros aspectos que o documento contempla incluem a formação inicial e continuada dos professores, bem como a revisão que a CNE está fazendo das diretrizes políticas e curriculares das Licenciaturas.

Em relação à Lei da Reforma do Ensino Médio (disponível aqui), Callegari destacou que a Lei nº 13.415 determina que o mínimo obrigatório de duração do ciclo seja ampliado de 800 para 1.000 horas anuais. "A Reforma estabelece que o Ensino Médio seja organizado por uma espécie de Núcleo Comum e uma parte diversificada composta de cinco opções de itinerários formativos, que correspondem às diferentes áreas de conhecimento: linguagens, matemática, ciências humanas, ciências da natureza e educação profissional."

Ao final do evento, o Presidente da SBH agradeceu ao convidado e reforçou a importância de ter a presença de um membro no CNE no Colégio Cruzeiro. "É preciso abrirmos espaço de diálogo com responsáveis por políticas públicas na área da Educação. Esta interação traz benefícios a todos na comunidade educacional", destacou.

  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar


Voltar ao topo